FACHA deseja a todos boas festas

22 dezembro 2017
Comentários: 0
22 dezembro 2017, Comentários: 0

Caros Alunos, Professores e Funcionários Administrativos,

Neste final de 2017, quero, mais uma vez, agradecer muitíssimo a colaboração e o apoio de todos, para que pudéssemos vencer um ano dificílimo, conturbado e absolutamente preocupante.
As gravíssimas crises política, econômica e social abalaram o Brasil, o Estado do Rio de Janeiro, em particular, e afetaram o dia-a-dia do cidadão, acentuando, ainda mais, os problemas na segurança pública, na educação, na saúde e atingindo o patamar inimaginável de 13 milhões de brasileiros desempregados.
Triste realidade. Tempos difíceis.
Crise de valores, crise ética e crise moral.
Mesmo com todos esses abalos, precisamos e devemos ser otimistas e esperançosos.
Dessa forma, e torcendo para que consigamos reverter os quadros sombrios, em uma corrente para frente e positiva, desejo a todos um Natal de paz, harmonia, saúde e felicidade, ao lado dos familiares e amigos.
E para festejar data tão importante, fui atrás de um dos mais primorosos poemas de Fernando Pessoa, para ilustrar esse momento no qual celebramos o amor.

Natal
Natal… Na província neva.
Nos lares aconchegados,
Um sentimento conserva
Os sentimentos passados.
Coração oposto ao mundo,
Como a família é verdade!
Meu pensamento é profundo,
Estou só e sonho saudade.
E como é branca de graça
A paisagem que não sei,
Vista de trás da vidraça
Do lar que nunca terei!

E, antecipando, deixo aqui, por meio do Poema “Esperança”, de Mário Quintana, uma mensagem de Ano Novo.
Que 2018 chegue trazendo fé, esperança e caridade, com todos os 365 dias marcados por grandes e profundas realizações pessoais e profissionais.

Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança…
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA…

Com a expressão sempre renovada da minha amizade e distinta consideração, sintam-se todos abraçados.
Muito obrigado,

Paulo Alonso
Diretor-Geral da FACHA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *